HomeNotíciasSaúde capacita funcionários do INSS em prevenção da Covid-19

Saúde capacita funcionários do INSS em prevenção da Covid-19

Gaza - (08/07/2021) - O sector da Saúde na Província de Gaza submeteu, há dias, os funcionários da Delegação Provincial do INSS a uma acção formativa no âmbito da prevenção e combate à pandemia da Covid-19.

 

A iniciativa enquadrou-se na estratégia dos dois sectores, tendente a combater os potenciais focos de transmissão da doença, para o caso concreto do INSS munindo os funcionários que lidam diariamente com os utentes do Sistema de Segurança Social, que, por diversas razões, não acedem aos serviços do INSS através das plataformas existentes e optam por se deslocar aos balcões de atendimento.

 

A capacitação da semana passada, ministrada por Maria da Gloria Laurinda Come Madede, da área de Vigilância Epidemiológica, Controle de Doenças e Promoção de Saúde, em Gaza, visava consciencializar cada vez mais os funcionários do INSS sobre os contornos da pandemia de coronavírus, sobretudo em relação a variante Delta, que já é uma preocupação do Governo moçambicano, e não só, como também de outros países.

 

A delegada provincial do INSS em Gaza, Eugénia Sunate destacou no encontro que a abordagem do tema é imprescindível, não apenas pela ameaça que a mesma representa para o País, como também na componente de recursos humanos, que é vital no alcance dos objectivos para que foi criado o Sistema de Segurança Social.

 

A capacitação decorreu no âmbito dos esforços que a Delegação Provincial do INSS de Gaza tem vindo a encetar no combate ao vírus, promovendo a consciencialização dos seus funcionários sobre o perigo a que estão expostos, porque trabalham com o público. Eugénia Sunate sublinhou a necessidade de, sempre que possível, os funcionários adquirirem conhecimentos sólidos relativos à prevenção e combate à doença.

 

Nesse quadro, a delegada do INSS instou os funcionários a serem vigilantes no cumprimento das medidas já decretadas pelas autoridades sanitárias do país, de forma aumentada e severa, disseminando as medidas aos demais colaboradores da instituição, tais como o pessoal de higiene, limpeza e de segurança, muitas vezes considerados grupo de risco, por serem, sobretudo estes últimos, os primeiros a ter contacto com o público.

 

 

 

Go to top