HomeNotíciasAssegurar a sustentabilidade do Sistema de Segurança Social

INSS funcionará com SISSMO e MINIMAL em “interface”

Provincia de Maputo - (09/03/2023) - Terminou, na tarde desta Quarta-feira, na localidade da Ponta D'Ouro, distrito de Matutuine, a capacitação de mais de 60 técnicos do INSS, provenientes de todas as províncias e de alguns sectores dos serviços centrais, afectos às áreas financeira, administrativa e recursos humanos, para a actualização do sistema Minimal, no âmbito do Projecto INSS-Minimal.

 

 

O INSS, tal como ficou concluído, terá o seu sistema, ou seja, o SISSMO (Serviço de Informação da Segurança Social de Moçambique) comunicável com o sistema Minimal, isto é, os dois sistemas passarão a estar em interface, via web, deixando assim a funcionalidade actual que é de intranet, mais concretamente em sistema de desktop. Esta funcionalidade mostra-se desajustada com a actual realidade do sistema moçambicano gerido pelo INSS, sobretudo após a sua informatização e modernização, uma vez que não é útil fora da área. Assim, o sistema Minimal passará, agora, a ter informações sobre o pagamento de prestações e das guias de pagamento de contribuições (GPC), facto que não estava incluído na funcionalidade actual, ora em revisão.

 

Aquela acção formativa, organizada pelo INSS e facilitada pela consultora portuguesa Minimal, que gere o sistema com o mesmo nome, serviu para a apresentação de constrangimentos e novas funcionalidades, que corporizam os termos de referência, no âmbito da actualização do sistema administrativo e financeiro, utilizado na Direcção Administração e Finanças do INSS (DAF) e no Departamento de Recursos Humanos (DRH).

 

Para os organizadores, tratou-se de uma capacitação oportuna, cujo trabalho foi muito produtivo, a avaliar pelo nível dos resultados. Os consultores, assim como os funcionários, ficaram esclarecidos sobre o que o INSS pretende e o que pode ser resolvido imediatamente. Razão pela qual, o trabalho não terminou em Matutuine, pois, vai continuar na especialidade, toda a semana, na sede em Maputo, com os técnicos de cada área, incluindo os que vieram das províncias para o efeito.

 

No cômputo geral, o curso foi bastante produtivo, uma vez que permitiu uma revisão global dos procedimentos financeiros e de recursos humanos, por um lado, e, por outro, foram apresentadas, pelos funcionários da instituição, as principais preocupações no que concerne às novas aplicações que o INSS precisa para melhor desenvolver as suas actividades.

 

Tratou-se de um trabalho envolvente, em que os técnicos portugueses garantiram que na maior das situações vão poder resolver, e incluirão a área da assistência médica e formação de pessoal do INSS.

 

 

Go to top