HomeNotícias

Funcionários do INSS optimistas quanto à vida pós-profissional

Nampula - (20/06/2024) - Tende a crescer a consciência de uma vida normal no futuro pós-profissional de muitos funcionários do INSS, que se encontram, desde há cerca de dois anos, em processo de orientação para a aposentação, numa iniciativa inovadora da instituição com o objectivo de ver os quadros que se reformam a servirem noutras frentes laborais ou profissionais.

 

 

O optimismo exteriorizado por muitos dos abrangidos pela iniciativa vem corresponder aos anseios da instituição, que era de fazer com que os funcionários que vão à reforma não desenvolvessem em si um sentimento de inutilidade, tanto profissionalmente, como na sociedade, mas sim como uma etapa das suas vidas que termina e começa uma outra.

 

Contra as projecções iniciais feitas pelo projecto, o número de beneficiários das acções de capacitação em orientação para a aposentação dos funcionários do INSS subiu, tendo em conta que o referido ciclo de formação recuou na faixa etária definida previamente, que era de 50 anos em diante, para 45 anos de idade, medida que enriqueceu o nível de envolvimento dos quadros.

 

Nessa senda, a cidade de Nampula iniciou,  há dias, com a capacitação do penúltimo grupo previsto para este ano, com 56 participantes, isto é, após Tete ter acolhido um outro similar na semana passada.

 

Em Nampula, discursando na cerimónia de abertura do curso, em representação do Director-Geral da instituição, o director de Administração e Finanças do INSS, Jaime Custódio Nhavene, voltou a defender a necessidade de capacitar os funcionários sobre a matéria de aposentação, como forma de ajudá-los a encarar o processo como normal, para além de preparar um novo modelo de aposentados do INSS, apostando em transformá-los em outros actores do mercado sócio-económico, profissional, incluindo a academia, onde até alguns já actuam.

 

Para Nhavene, ninguém deve se vitimizar com o processo de reforma em curso, não apenas no INSS, mas também em toda a administração pública, porque ele é normal e necessária. A outra aposta do INSS, segundo Jaime Nhavene, é de evitar que muitos funcionários vão à reforma endividados, muitas vezes na recta final, precisamente quando se descobrem que já é tarde e ainda não se organizaram para a vida futura que lhes espera, em que se denota a ausência de um plano concreto de vida e muito menos informação sobre o empreendedorismo ou alguma educação financeira. Razão pela qual nestas formações o INSS ministra temas diversificados sobre a legislação, educação financeira, o empreendedorismo, para além dos ligados à psicologia.

 

A AMODEFA (Associação Moçambicana para Desenvolvimento da Família), uma organização com larga experiência e que tem-se destacado na orientação para a estabilidade de famílias, através de acções de formação, educação e comunicação, o INPS (Instituto Nacional de Previdência Social), que é uma instituição do Estado vocacionada em matérias de aposentadoria, bem como a Business Trading & Consulting (BTC), uma empresa de consultoria voltada para a prestação de serviços de consultoria empresarial, económica e financeira, são os facilitadores deste ciclo de formações organizadas pelo INSS para os seus funcionários.

 

Rezam os novos Estatutos Gerais dos Funcionários e Agentes do Estado (EGFAE), no capítulo sobre a aposentação de funcionários e agentes de Estado, dentro da sua relação laboral com este, que é obrigatória a aposentação do funcionário ou agente do Estado que tenha completado 60 anos de idade, com pelo menos 15 anos de serviço prestado ao Estado e satisfeito ou venha a satisfazer os encargos para a pensão de aposentação.

 

No curso que está a decorrer na cidade de Nampula estão funcionários provenientes dos serviços centrais e das delegações provinciais do INSS. A última capacitação, referente ao ano de 2024, terá lugar na província de Maputo.

 

 

Go to top